Como começar?

Antes de mais nada, será necessário traçar ou reconstruir corretamente a genealogia de sua família desde o italiano emigrado da Itália até você.

Para você conseguir traçar essa árvore a participação de seus familiares é fundamental (avós, tios, pais), especialmente os mais velhos, através de entrevistas, pedindo para eles contarem todos os detalhes que se recordem sobre os ascendentes que imigraram para o Brasil. Todas as informações assim obtidas deverão ser anotadas, pois não podemos contar muito com a memória dessas pessoas e talvez no primeiro momento as informações recolhidas possam não parecer útil, mas no decorrer das pesquisas pode ser uma “chave para abrir uma porta”.

Aconselhamos também, recolher todos os documentos em posse da família, recolhendo não somente aqueles possuídos pelo interessado ou seus pais e avós, mas ainda documentos porventura em poder de primos, tios ou parentes ainda mais distantes, desde que pertinentes. Esses documentos deverão ser passados por uma análise, para tentar reconstruir toda história da família.

Linha Materna (Lei de 1948)

Antes da promulgação da constituição da república italiana, apenas homens podiam conceder a cidadania italiana para os filhos.

Com a promulgação da Constituição Republicana aos 01.01.1948, a mulher passou a ser considerada como igual ao homem perante a lei.

Requisitos:

  • Filho(a) da MULHER, nascido antes de 1948 na linha de descendência
  • Italiano(a) não ter se naturalizado antes do nascimento do filho
  • Não ser filho adotivo e não haver filhos adotivos na linha de descendência
  • Ter a certidão de nascimento e se for o caso, de casamento do Italiano(a) original.
  • Ter em mãos todas as certidões desde o italiano até o requerente.

Via administrativa

A cidadania italiana iure sanguinis é transmitida a partir do(a) ascendente italiano(a) sem limite de gerações, mas com restrição naquilo que se refere à descendência por parte materna: têm direito à cidadania apenas os filhos de mulher italiana nascidos a partir de 01/01/1948, e seus descendentes.

Requisitos:

  • Não se encaixar na Linha Materna
  • Italiano(a) não ter se naturalizado antes do nascimento do filho
  • Não ser filho adotivo e não haver filhos adotivos na linha de descendência
  • Ter a certidão de nascimento e se for o caso, de casamento do Italiano(a) original.
  • Ter em mãos todas as certidões desde o italiano até o requerente.

Entre em contato!